Workshop no COPM/BM revela dados da vitimização policial na Paraíba

Última atualização em 30/10/2019 18:18

Workshop no COPM/BM revela dados da vitimização policial na Paraíba
O Iº Workshop realizado pelo Clube dos Oficiais da Polícia e Bombeiros Militares da Paraíba – COPM – deixou oficiais, familiares e convidados impactados. As palestras revelam dados sobre a vitimização policial na Paraíba de 1990 a 2018, e o major Leonardo Novo, da PM do Rio de Janeiro, brindou os presentes com informações , dividiu conhecimento e externou sua preocupação sobre a necessidade de os policiais terem mais conhecimento teórico e serem protagonistas dos debates em alto nível sobre segurança pública no país e nos estados.
 
POLICIAIS PRECISAM DE MAIS CONHECIMENTO TEÓRICO E JURÍDICO – Segundo o major Leonardo Novo, autor do livro Direito Operacional, há esse tipo de vácuo, de lacuna nas corporações da Polícia Militar dos estados. Ao seu ver , os policiais precisam de informações e conhecimento teórico e jurídico, e diante desse vazio alguém de outro setor ocupa espaço e por isso muitas vezes os profissionais de segurança, que são os policiais, acabam de fora dos debates de alto nível sobre segurança pública.
 
POLICIAIS PRECISAM PARTICIPAR DOS DEBATES DE ALTO NÍVEL SOBRE SEGURANÇA – O major Leonardo Novo, da Polícia Militar do Rio de Janeiro, palestrante do Workshop do Clube dos Oficiais, destacou que quando se é preciso debater temas jurídicos chamam advogados, promotores, juízes, quando se debate saúde chamam os médicos , e porque quando é para debater segurança o policial não é chamado?
 
VITIMIZAÇÃO POLICIAL NA PARAÍBA ENTRE 1990  e 2018 – Os palestrantes da Polícia Militar da Paraíba foram o Ten Cel Onivan Elias de Oliveira, do Cel Veterano José Walber Rufino Tavares , que apresentaram dados sobre mortes de policiais da ativa, da reserva e reformados. Ressaltaram a importância de fomentar esse debate internamente e compreender o que tem resultado em comprometimento da saúde desses profissionais de segurança pública. Lembraram ainda que o resultado dos estudos e pesquisas na Polícia Militar da Paraíba não devem ser apresentados como mais um dado, mas serem analisados e a partir daí cuidar da saúde do policial, da ativa, da reserva ou reformado.
 
MELHORA NOS ÍNDICES APRESENTADOS PELO GOVERNO CUSTAM ALTO PREÇO AOS POLICIAIS – O coronel Francisco de Assis, presidente do Clube dos Oficiais, destacou a relevância das palestras, e lembrou que em recente audiência alguns auxiliares do Governo apresentaram números que demonstram a impossibilidade de atendimento as demandas da categoria. “Tentar apresentar números para dizer é muito fácil. Se apegar a dados para negar pleitos é simples. Gostaríamos de ver realmente os técnicos do Governo analisando esses dados expostos aqui”, comentou o coronel.
 
Ainda sobre os índices apresentados pelo Governo do Estado da Paraíba mostrando o excelente desempenho do policial militar da Paraíba, isso tem um custo alto. “No cumprimento do seu dever o policial tem pago um preço alto para que esses números e dados sejam divulgados com comemoração pelos que fazem o Governo do Estado”, enfatizou.
 
DISCUSSÃO INTERNA E DOCUMENTO AO GOVERNO DO ESTADO – o coronel Francisco de Assis adiantou ainda que o Workshop terá desdobramento efetivo e que o Clube dos Oficiais vai realizar novo encontro com oficiais para avaliação do que foi apresentado, e elaboração de sugestões e medidas que serão encaminhadas ao governador João Azevedo e ao comandante geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves.
AUTORIDADES PRESENTES – Entre os convidados para compor a mesa que dirigiu os trabalhos do Workshop, além do coronel Francisco de Assis, o promotor militar Fernando Antônio, o diretor de saúde da PM/PB, Cel Shóstenes Gonçalves, o presidente do Sindicato dos Peritos do estado da Paraíba, Joelson dos Santos,  Ten Cel Hélio Araújo, representando o comandante geral da PM, Cel Hamilton Cordeiro, ex-comandante geral da PMPB, coronel João Bosco, da Polícia Militar do estado de Pernambuco e a escrivã da Polícia Civil do estado da paraíba, Elizabeth.
Também prestigiaram o evento o coronel Maquir Alves Cordeiro, presidente da Associação dos Inativos da PMPB, coronel Marcos Marconi, coronel Marinaldo, coronel Júlio César, coronel Almeida, da PMPE, entre diveros outros oficiais da PMPB.
 
LIVRO DIREITO OPERACIONAL , AUTOR  MAJOR LEONARDO NOVO DA PMRJ –  Leonardo Novo Oliveira Andrade de Araújo é major da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro. Com 15 anos de polícia, 10 deles dedicados ao Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), e larga experiência na área operacional e de instrução, é formado em operações especiais e possui capacitação em dois dos cursos mais rigorosos: Curso de operações especiais BOPE-RJ (COEsp) e Curso de operações especiais da Polícia Nacional Colombiana (COPES), ambos reconhecidos internacionalmente.
Na área jurídica, é formado em Direito e pós-graduado em Penal e Processo Penal pela Universidade Candido Mendes. O Major Novo também é mestrando em Criminologia pela Universidade Fernando Pessoa, na cidade do Porto, Portugal. Na área pedagógica, é instrutor de diversos cursos militares em matérias operacionais e jurídicas, destacando-se na Academia de Polícia Militar D. João VI e no CFAP 31 de voluntários — berço na formação de o?ciais e praças da gloriosa PMERJ —, além de palestrante em eventos por todo o Brasil.
Na área operacional, destaca-se pelas inúmeras horas de patrulhamento em áreas con?agradas e de consequentes confrontos armados, comandando equipes do BOPE ou do BPChoque, com ênfase na atuação de todas as operações e paci?cação no Estado. O autor não só estudou para ser policial, mas continuou estudando dentro da Polícia, conhecendo de perto a aplicação do Direito e suas di?culdades de maneira única, o que se tornou o diferencial de sua obra literária.

Fonte Blog Marcelo José

 

Aniversariantes

15/08/2022

  • MARIA R. SOARES DE MELO FREIRE - 1º Tenente
  • VANUSA NASCIMENTO SABINO NEVES - Capitão
  • EDSON ELIAS DA SILVA - Tenente-Coronel
  • ALYSSON CASSIMIRO SIMO?S - CAPITÃO
  • MARIA DE NAZARETH PINHEIRO A DANTAS